Tribunal de Chicago rejeita medidas de Trump contra ‘cidades santuário’

Agentes do serviço de controle migratório dos Estados Unidos (ICE) se preparam para deter imigrantes ilegais, em 11 de abril na cidade de Nova York (Foto: GETTY IMAGES/AFP)

CHICAGO – O Tribunal Federal de Apelações de Chicago rejeitou nesta quinta-feira, 19,  os esforços do governo de Donald Trump de retaliar as chamadas “cidades santuário” para imigrantes ilegais.

A corte determinou que o departamento de Justiça não pode cortar certas verbas federais destinadas às cidades que se negam a cooperar com as severas medidas adotadas pelo governo em Washington contra os imigrantes em situação ilegal.

Desde o ano passado, o departamento de Justiça tenta punir cidades, estados e outras jurisdições que omitem informações aos agentes federais de imigração sobre imigrantes ilegais detidos por outros motivos.

O presidente Trump acusa as chamadas “cidades santuário” de permitir que criminosos reincidentes permaneçam em liberdade e ordenou às autoridades federais que adotem ações contra tal situação.

O tribunal de Chicago concluiu que se o Congresso aprova as verbas com base em seu poder de determinar o orçamento, o departamento de Justiça não tem o direito de bloquear tais fundos.

“Somos um país que respeita a separação dos poderes e temos que nos manter sempre vigilantes neste esforço”, destacou o tribunal.