Tiros em Suzano: O que se sabe sobre o ataque em escola que deixou estudantes mortos

Policiais no escola em Suzano logo depois do atentado na quarta-feira (13)

SUZANO – Ao menos dez pessoas morreram nesta quarta-feira na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo, após dois adolescentes encapuzados entrarem armados no local e abrirem fogo, de acordo com informações da Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP/SP).

Entre as vítimas, estão o dono de uma locadora de carros próxima ao local, cinco estudantes, a coordenadora pedagógica Marilena Ferreira Umezo e uma outra funcionária da escola, Eliana Regina de Oliveira Xavier. Outras 11 pessoas ficaram feridas.

Os dois atiradores foram identificados pela polícia como Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25. Ambos são ex-alunos da escola.

A escola foi esvaziada porque havia no local um artefato potencialmente explosivo, mas o material era falso, informou o governo.

O governador João Doria (PSDB) se dirigiu à cidade para acompanhar o atendimento aos feridos acompanhado pelo secretário de Segurança do Estado, o general João Camilo Pires de Campos.

Doria afirmou a jornalistas no local que ficou muito abalado com o que presenciou na escola. “Antes de tudo, às vítimas, aos pais, aos familiares das crianças, dos funcionários e dos homicidas, a nossa solidariedade. Foi a nossa cena mais triste que já vi na minha vida.”

Ele decretou luto de três dias no Estado de São Paulo.

O Censo Escolar de 2017 aponta que a escola tem mais de mil alunos, que cursam do 6º ano do ensino fundamental ao 3º ano do ensino médio. Só havia estudantes do ensino médio no local no momento do ataque.

Como ocorreu o ataque

Antes de entrar na escola, os atiradores alvejaram Jorge Antonio Morais, dono de uma locadora de carros localizada próxima à escola, de acordo com a PM. Ele foi submetido a uma cirurgia na Santa Casa em Suzano, mas morreu em seguida em decorrência dos ferimentos.

A dupla roubou um carro e foi para a escola. Na sequência, de acordo com o relato da PM, teria entrado então na escola Raul Brasil pela porta da frente e atirado primeiro contra a coordenadora pedagógica e uma funcionária. Era hora do lanche.

Os atiradores se encaminharam então para o pátio, onde balearam cinco alunos. Na sequência, se dirigiram ao centro de línguas da escola, mas estudantes conseguiram se trancar na sala com a professora.

Neste momento, segundo a polícia, os atiradores se suicidaram no corredor da escola.

Um atentado cometido por ‘alguém sem domínio de suas faculdades’

O comandante geral da Polícia Militar de São Paulo disse acreditar que o atentado tenha sido cometido por “alguém que não tem o domínio de suas próprias faculdades”.

Segundo a PM-SP, os atiradores que atacaram na escola de Suzano utilizaram um revólver de calibre 38 e tinham “jet loaders”, acessórios plásticos dotados de uma mola que auxiliam a recarregar o tambor de um revólver com muito mais rapidez do é feito manualmente – cápsula por cápsula.

Apesar de a venda de armas ter restrições no país, o acessório pode ser encontrado facilmente em lojas e até mesmo online em sites como o Mercado Livre. Nos anúncios, as peças são oferecidas por cerca de R$ 40.

A Secretaria de Saúde de São Paulo enviou dois psiquiatras e um psicólogo para dar apoio no atendimento às famílias e demais envolvidos.

‘Encontrei um rapaz com um tiro no queixo’

O agente de trânsito Gilberto Rocha Gusmões, de 40 anos, mora em um prédio ao lado da escola estadual Raul Brasil. De seu apartamento no terceiro andar, ouviu o primeiro tiro às 9h35. O registro de seu celular marca uma ligação para a Polícia Militar um minuto depois. “Eu desci correndo porque ouvi os gritos dos alunos”, disse.

Ao entrar na escola por uma porta lateral, encontrou uma mulher morta no chão. Começou a gravar com o celular. “Vi dois alunos no chão, um em cima do outro. Depois encontrei um rapaz com um tiro no queixo. Essa parte da boca estava destruída. Também tinha levado um tiro de raspão na barriga. Mas ele estava consciente. Eu o encostei num canto do muro. Depois de um tempo, a ambulância chegou.”

A funcionária de um comércio da região, que pediu para não ser identificada, disse que viu um dos jovens entrar correndo em um carro estacionado na porta do lava rápido próximo à escola.”Eu pensei que fosse um assalto. Eu vi o menino correndo e entrando no carro branco e arrancando na direção da escola. Só depois fiquei sabendo do que tinha acontecido”, afirmou à reportagem.

Lista de mortos e feridos

Na noite desta quarta-feira, o governo de São Paulo divulgou uma lista com os nomes dos mortos, incluindo os atiradores, e feridos.

Alunos da escola – todos óbito:1.Caio Oliveira, 15 anos, estudante.2.Claiton Antonio Ribeiro, 17 anos, estudante.3.Douglas Murilo Celestino, 16 anos, estudante – socorrido ao Hospital de Clínicas Luzia Pinho de Melo, foi à óbito.4.Kaio Lucas da Costa Limeira, 15 anos, estudante.5.Samuel Melquiades Silva Oliveira, 16 anos, estudante.Funcionárias da escola – todos óbito:6.Eliana Regina de Oliveira Xavier, 38 anos.7.Marilena Ferreira Vieira Umezo, 59 anos.Atiradores – óbito:8.Guilherme Taucci Monteiro – 17 anos (13/07/2001).9.Luiz Henrique de Castro – 25 anos (16/03/1993).Dono da locadora (tio do Guilherme)10.Jorge Antonio de Moraes, 51 anos – transferido do PSM de Suzano para o HC/FMUSP onde foi a óbito.Feridos1.Adna Isabella Bezerra de Paula, 16 anos, transferida do PSM Suzano para o HC/FMUSP – estável, na emergência.2.Anderson Carrilho de Brito, 15 anos, transferido do PSM Suzano para o HC/FMUSP – estado grave, no centro cirúrgico.3.Beatriz Gonçalves Fernandes, 15 anos, estável no PSM de Suzano.4.Guilherme Ramos do Amaral, 14 anos , neste momento passa por cirurgia no PS de Suzano.5.Jenifer da Silva Cavalcante – HC Luzia de Pinho Melo, grave, porém estável, passou por procedimentos cirúrgicos e está sendo acompanhada pela equipe médica.6.José Vitor Ramos Lemos, (Hospital Santa Maria). É o que foi atingido com o machado.7.Leonardo Martinez Santos – socorrido ao HC Luzia de Pinho Melo – fraturou o tornozelo, será operado e passará por cirurgia.8.Leonardo Vinícius Santa Rosa, 20 anos, estava na Santa Casa de Suzano e foi transferido para o HC/FMUSP, estável no PS.9.Letícia de Melo Nunes, (Hospital Santa Maria – transferida para Hospital Geral de Itaquaquecetuba) – estável e sob acompanhamento especializado de cirurgia geral.10.Murillo Gomes Louro Benites, 15 anos – socorrido ao HC/FMUSP pelo Águia, estável no PS.11.Samuel Silva Félix, (Hospital Santa Maria).

(BBC)