Suspeito de matar Jassy Correia aguarda julgamento preso em Boston

Suspeito foi visto em vídeos de câmeras de segurança da região

BOSTON – A Corte Federal de Boston determinou nesta segunda-feira, 11, que Louis Coleman III, acusado de sequestrar e matar Jassy Correia, de 23 anos, permaneça preso até o dia do julgamento.

O suspeito pode ser condenado à pena de morte, embora a pena máxima tenha sido extinta em Massachusetts, porque o crime envolve pelo menos três estados.

O corpo da jovem, mãe de uma menina de 2 anos, foi encontrado no dia 28 de fevereiro, quatro dias após o desaparecimento, no porta-malas do carro do suspeito. Ele foi preso em Delaware, onde ficou preso até ser transferido para Massachusetts no último final de semana.

No sábado (9), quase duas semanas depois do crime, Jassy Correia foi enterrada.

Leia também: Assassino de Jassy Correia vai ser julgado em Boston e pode pegar pena de morte

Crime

Jassy deixa uma filha de dois anos

As câmeras de segurança no Distrito dos Teatros de Boston, próximo à boate Venus, onde Jassy foi comemorar o aniversário com amigos, mostram as últimas imagens de vítima entrando em um Mercury Vermelho, por volta das 2h15 de domingo (23).

Duas horas depois, vídeos na rua do apartamento de Coleman em Providence, Rhode Island, apontam o suspeito “carregando um corpo de cabelos compridos” para dentro do prédio. “Em determinado momento, Coleman colocou o corpo no chão e arrastou para dentro do elevador”, destaca o relatório policial.

A investigação indica que houve uma luta corporal dentro do carro do suspeito que estava com “o vidro da frente do lado do carona trincado”. Coleman também tinha um ferimento no rosto que ele diz ter sido feito por Jassy, uma cabo-verdiana que morava nos Estados Unidos há 20 anos.

O corpo de Jassy pode ter ficado no apartamento em Providence por quatro dias. Durante esse tempo, os investigadores reuniram imagens do circuito interno de segurança do Walmart, em Providence, e um recibo que comprovam a compra de fita adesiva, água sanitária, luvas cirúrgicas, roupas de proteção e máscaras para respiração.

Coleman deixou o seu apartamento levando uma mala de rodinhas no início da manhã de quinta-feira (28), 12 horas antes de ser preso pela Polícia Estadual de Delaware.