Social-democrata ganha na Finlândia com vantagem mínima sobre extrema direita

O presidente do SDP, Antti Rinne, ao lado da mulher, Heta Ravolainen-Rinne, fala em evento neste domingo em Helsinki, na Finlândia (Foto: AP)

HELSINQUE – O opositor Partido Social-Democrata da Finlândia (SDP) venceu neste domingo, 14, com uma apertada margem de 0,2 ponto percentual à frente do ultradireitista Partido dos Verdadeiros Finlandeses nas eleições parlamentares do país.

Com 99,3% dos votos apurados, o SDP, dirigido pelo ex-líder sindical Antti Rinne, obtém 17,7% dos votos e 40 deputados, contra os 17,5% e 39 cadeiras dos também opositores Verdadeiros Finlandeses.

Assim, o Verdadeiros Finlandeses supera o partido conservador Kokoomus, do ministro de Finanças interino Petteri Orpo, que alcança 17% dos votos e 38 cadeiras. São, no total, 200 assentos no Parlamento da Finlândia.

O governante Partido do Centro, do primeiro-ministro finlandês, Juha Sipilä, é o grande perdedor deste pleito, já que obtém 13,8% dos votos e 31 deputados, o pior resultado da sua história.

Os Verdes, por outro lado, foram os que mais subiram, depois do SDP, ao conseguir 11,5% dos votos e 20 cadeiras, cinco a mais do que em 2015. A Aliança de Esquerda também avança e consegue 8,2%, o que lhe permite aumentar em quatro o seu número de cadeiras, totalizando 16.

Os outros partidos que conseguem representação no Eduskunta (Parlamento finlandês) são o Partido Popular Sueco (4,5% dos votos e 9 cadeiras) e o Partido Democrata-Cristão (3,9% e 5 cadeiras).

Futuro Azul, a formação feita a partir dos Verdadeiros Finlandeses, alcança 1% dos votos, mas não consegue assentos no Parlamento.