Procurador-geral dos EUA diz que havia irregularidades em cela de Epstein

Jeffrey Epstein respondia a acusações de abuso infantil

WASHINGTON – O procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, disse nesta segunda, 12, que havia “irregularidades sérias” na prisão federal na cidade de Nova York onde o milionário Jeffrey Epstein morreu.

Barr disse também que a investigação sobre os crimes de Epstein prosseguirá. “Qualquer co-conspirador não deve descansar em paz”, disse ele, a mais alta autoridade policial do país, durante um discurso em um evento na cidade de Nova Orleans.

Epstein foi encontrado morto no sábado (10) em sua cela no Centro de Correção Metropolitana, na ilha de Manhattan, onde ele era detido por acusações de crimes ligados a tráfico sexual.

Ele já tinha se declarado culpado em um outro caso de abuso sexual em 2008, no estado da Florida, onde admitiu ter pagado, de maneira ilegal, por sexo a uma adolescente.

Barr anunciou no sábado (10) que ele pediu para que uma investigação seja aberta.