População mundial chegará a 9,7 bilhões em 2050, prevê ONU

Parque aquático em Daying, na província de Sichuan, na China, em 2016 (Foto: Reuters)

GENEBRA – A população mundial atingirá 9,7 bilhões de pessoas em 2050, um aumento de 26% em relação aos 7,7 bilhões atuais, segundo uma estimativa publicada pela ONU.

O estudo aponta também que o número de habitantes da África subsaariana vai dobrar.

A ONU prevê que a população mundial poderá chegar perto de 11 bilhões até 2100. O relatório “Perspectivas da população no mundo” confirma o envelhecimento da população mundial devido ao aumento da expectativa de vida e queda da fertilidade.

O número de países que sofrem redução da população aumentou, afirmou o Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas, que preparou o relatório.

Desde 2010, 27 países ou territórios tiveram uma diminuição de pelo menos 1% no tamanho de sua população, um fenômeno causado por baixos níveis de fertilidade.

China vai encolher

Em suas previsões, a ONU aponta que a população na China será reduzida em 31,4 milhões de habitantes, ou seja, 2,2%, entre 2019 e 2050.

A evolução da população de alguns países deve muito aos movimentos migratórios. Isso é confirmado em países como Bielorrússia, Estônia, Alemanha, Hungria, Itália, Japão, Rússia, Sérvia e Ucrânia, em que a migração ajuda a compensar a perda de população causada por um excesso de mortes em relação aos nascimentos registrados.

Metade do crescimento se concentrará em nove países

Para 2050, mais da metade do crescimento projetado para a população mundial se concentrará em nove países:

  • Índia
  • Nigéria
  • Paquistão
  • República Democrática do Congo
  • Etiópia
  • Tanzânia
  • Indonésia
  • Egito
  • Estados Unidos

O índice de nascimentos global, que caiu de 3,2 por mulher em 1990 para 2,5 em 2019, se estabilizará em 2,2 em 2050.

Essa última taxa se aproxima dos níveis de fecundidade de 2,1 nascimento por mulher necessários para garantir a substituição geracional e evitar a queda de população no longo prazo na ausência de imigração, indicou o comunicado da ONU.

Pobres têm expectativa de vida sete anos mais baixa que a média

No que se refere a expectativa de vida, os habitantes dos países mais pobres continuam vivendo em média sete anos a menos que a população mundial.

Espera-se que, em 2050, alcancem os 77,1 anos, em comparação com os 72,6 anos de 2019, informou o relatório. Em 1990 a expectativa de vida era de 64,2 anos.