ICE pede custódia de brasileiro preso por fraudes com cartões em Miami e New Hampshire

Se pagar fiança Estefano Dall Anese Borlotti deve ser levado ao ICE

BOSTON – A polícia de Miami prendeu o brasileiro Estefano Dall Anese Borlotti que  enfrenta na justiça federal dos Estados Unidos a acusação de estar envolvido na falsificação e clonagem de cartões bancários em crimes ocorridos em New Hampshire.

O agente federal Timothy Benitez sustenta em suas acusações que Borlotti ao lado de um grupo de estelionatários transferia dados de contas correntes para tarjas magnéticas falsas impressas em cartões de gift card do Dunkin Donuts.

Segundo Benitez, Borlotti, de 35 anos, montava os cartões falsos e realizou saques em caixas eletrônicos nas cidades de Manchester, Barrington, Dover, Durham e Portsmouth, em New Hampshire. Os documentos apresentados numa Corte Federal em 24 de outubro revelam que os golpes podem ter ultrapassado os $ 100 mil.

De acordo com os autos da Corte, o brasileiro foi preso em Miami, na Flórida, no dia 31 de outubro sob a acusação de fraudes com cartões de crédito, porém não pelos crimes praticados em New Hampshire e sim por outros efetuados no sul do país.

A Justiça estipulou uma fiança de $ 22,5 mil para Borlotti mas o ICE já emitiu um pedido de custódia com a intenção de deportá-lo. “Ser mandado de volta ao Brasil sem cumprir uma pena aqui nos Estados Unidos seria um prêmio à bandidagem”, disse ao PORTAL BM NEWS o assistente legal Lucas Serino.

O golpe, segundo as denúncias apresentadas em New Hampshire, sugere que Borlotti gravava as informações bancárias em cartões magnéticos do Dunkin’ Donuts para sacar dinheiro nas filiais do Federal Savings Bank (FSB), em Barrington, Dover, Durham, Portsmouth e Rochester. Estas operações ocorreram entre abril e maio desse ano.

Na agência do FSB de Dover, os agentes federais conseguiram imagens das câmeras de segurança, mostrando dois homens cometendo a fraude num período de três semanas. O agente contou que a detetive Katie Bolton rastreou um dos veículos usados pelos suspeitos.

O carro teria sido alugado em Massachusetts e a locadora forneceu as cópias dos documentos de identificação apresentados pelos suspeitos e as fotos revelavam que as mesmas pessoas que pegaram o carro foram responsáveis pelos golpes aplicados em New Hampshire.

Em 11 de junho, o sargento de Portsmouth, Jonathan Aubin, fez contato com o Serviço Secreto para denunciar que um veículo alugado teria sido utilizado nas transações fraudulentas ocorridas nas filiais do FSB naquela cidade e que 13 cartões magnéticos do Dunkin’ Donuts foram confiscados na máquina, depois de várias tentativas de saque.

“Utilizando uma leitora de cartões, um aparato capaz de exibir a informação numérica contida na tarja magnética de um cartão, os agentes foram capazes de verificar se os cartões tinham informações de contas bancárias gravadas neles”, relatou Aubin

Segundo os documentos apresentados na Corte, os cartões do Dunkin’ Donuts continham “uma grande variedade de contas bancárias dos EUA e do Brasil usadas para saques nos dois países”.

As agências do FSB foram lesadas em $ 60.730 com os saques fraudulentos. Atividades similares ocorreram ainda em outras cinco filiais do Holy Rosary Credit Union em Dover, Farmington e Rochester. As imagens dessas agências mostram os mesmos criminosos, o mesmo carro e o prejuízo foi de $ 43 mil.

Além das imagens registradas nos caixas eletrônicos e da documentação apresentada no aluguel dos carros, Borlotti foi identificado através de informações arquivadas no Departamento de Polícia de York, Maine.

No incidente ocorrido em 13 de maio na região, o réu, identificado pelas iniciais “C.P.” foi preso por arrombamento e agressão. Os agentes do Serviço Secreto detalharam que quando Borlotti e um indivíduo identificado como “D.S.” retornaram à locadora de veículos em Boston (Massachusetts), em junho, eles fizeram depósitos altos em contas correntes em filiais do TD Bank.