Homem admite ter matado brasileira de 60 anos na Itália

Policiais em frente à casa de Maria Aparecida Venâncio de Sousa, em Arezzo (Foto: ANSA)

AREZZO – Um italiano de 37 anos admitiu nesta segunda-feira (9) ter assassinado uma brasileira de 60 no último dia 26 de agosto, em Arezzo, cidade histórica localizada na região da Toscana.

O corpo de Maria Aparecida Venâncio de Sousa foi encontrado em sua casa, amarrado pelo pescoço a uma cama, seminu e com uma ferida na cabeça. A mulher vivia havia muitos anos em Arezzo e era formalmente casada, porém não morava mais com o marido, embora mantivesse boa relação com ele.

Os investigadores suspeitam que a brasileira trabalhasse como prostituta. Seu assassino é o empresário Federico Ferrini, um homem com quem ela mantinha encontros amorosos. Em audiência nesta segunda-feira, Ferrini, preso na última sexta (7), confessou o crime e afirmou ao juiz que era alvo de chantagem havia dois anos.

Ele teria conhecido Sousa em 2016 e mantido uma relação de cliente-prostituta durante algum tempo. Pouco depois, no entanto, o envolvimento entre os dois teria aumentado, e Ferrini teria decidido encerrar o relacionamento em 2017.

Em seguida, o italiano diz que a brasileira passou a chantageá-lo e pedir dinheiro para não revelar a relação à sua nova namorada. O empresário conta que foi à casa de Sousa para encerrar a extorsão, mas uma discussão entre eles teria se transformado em briga física.

Em determinado momento, o homem teria acertado a mulher com um pedaço de ferro e a amarrado na cama pelo pescoço.