Greve dos funcionários do Stop & Shop completa cinco dias

BOSTON – Os funcionários e a administração do Stop & Shop não chegaram em um acordo para encerrar a greve que completa cinco dias nesta segunda-feira, 15.

Trinta mil trabalhadores estão paralisados e forçam os mercados da Nova Inglaterra a operar em horário reduzido e com mão de obra terceirizada.

A principal reivindicação dos servidores sindicalizados nos estados de Maine, Vermont, New Hampshire, Massachusetts, Rhode Island e Connecticut, é que o novo plano de saúde oferecido pela empresa reflete em um desconto três vezes maior maior na folha de pagamento.

Leia também: Funcionários do Stop & Shop completam segundo dia de greve

Em nota, o Stop & Shop nega a desvalorização do salário dos funcionários e afirma que propôs um aumento. “As propostas do sindicato vão forçar o aumento dos preços nas prateleiras e prejudicam o crescimento dos negócios das empresas”, destacou.

Durante o fim de semana, a senadora federal e pré-candidata à presidência dos Estados Unidos pelo partido democrata, Elizabeth Warren, se uniu a um grupo de trabalhadores que protestavam em frente ao Stop & Shop de Somerville, em Massachusetts.