Governador sanciona lei que proíbe cidades santuário na Flórida

DeSantis é ovacionado durante assinatura da lei no Condado de Okaloosa (Foto: AP)

TALLAHASSE – As autoridades policiais da Flórida passam a colaborar com o Serviço de Imigração e Controle de Alfândegas (ICE) dos Estados Unidos após o governador Ron DeSantis sancionar na sexta-feira, 14, uma lei que proíbe as cidades santuário no estado.

Para DeSantis, as cidades que se recusam a cooperar com a detenção de imigrantes irregulares “criam locais sem lei onde as pessoas podem chegar sem documentos e se estabelecer, cometer crimes e simplesmente deixar a prisão e continuar impune”.

“Na Flórida isso não vai mais acontecer”, disse o republicano durante a assinatura da nova legislação.

O texto foi aprovado em maio nas Casas parlamentares comandadas por republicanos e exige que as polícias locais e outras agências acatem e respondam às “ordens de detenção migratória” do governo federal. Geralmente, os policiais ignoravam os pedidos das autoridades para deter os imigrantes ilegais.

A partir de agora, só o Departamento de Famílias e Crianças estaria livre de relatar os casos irregulares.

Há um mês, a maior organização de defesa dos direitos humanos dos Estados Unidos, ACLU, emitiu um “alerta de viagens” para a Flórida, um ponto nevrálgico da imigração latino-americana e epicentro das diásporas de Cuba, Venezuela e Haiti.

Em torno de 20% da população da Flórida é composta por imigrantes, mas nas grandes cidades como Miami e Orlando este percentual chega a 50%.