Gorbachev completa 88 anos em família e sem atos públicos

Mikhail Gorbachev
Mikhail Gorbachev em imagem de 8 de novembro de 2018 (Foto: AP)

MOSCOU – O último líder da União Soviética, Mikhail Gorbachev, completa neste sábado 88 anos rodeado pela família e com a agenda vazia.

“Não há nenhum ato programado (para hoje), mas, naturalmente, ele vai comemorar o aniversário. Convidou a parentes e amigos”, disse à agência “RIA Novosti” o representante do ex-líder soviético, Pavel Palazhchenko.

No ano passado, Gorbachev também organizou uma comemoração de aniversário discreta que aconteceu na fundação que leva o seu nome em Moscou.

Às vésperas do aniversário do ex-governante, o porta-voz da Fundação de Estudos Políticos Gorbachev, Vladimir Polyakov, negou as informações que especulavam sobre a emigração do “pai” da Perestroika da Rússia.

“É absurdo. Gorbachev vivia e segue vivendo na Rússia”, afirmou Palazhchenko, acrescentando também que nos últimos anos o ex-líder soviético não realizou viagens para o exterior por motivos de saúde, mas que “recebeu vários convites”. Segundo o representante, Gorbachev vive sozinho em uma residência estatal nos arredores de Moscou.

Às vésperas do aniversário de Gorbachev, vários especialistas russos voltaram a avaliar o seu papel na história do país. Segundo o analista político Leonid Gozman, o último presidente da União Soviética teve que optar à época pela necessidade de “apertar mais as porcas” ou iniciar um processo de “liberalização”, e “optou pelo segundo”.

“Estou convicto que ele não estava plenamente consciente aonde ia a levar esse caminho”, afirmou o especialista em alusão à desintegração da URSS, mas agradeceu ao impulsor da Perestroika pela “decisão de empreender a rota para a liberdade”.

Já o senador russo Oleg Morozov opinou que as tarefas que Gorbachov encarou à frente do governo soviético nos seus últimos anos de vida requeriam qualidades que o político não tinha: “Ele assumiu as rédeas do país, mas não sabia que fazer”, comentou.