Ex-presidente da Braskem é preso nos EUA por corrupção

José Carlos Grubisich, ex-presidente da Braskem (Foto: Getty Images)

NOVA YORK/ BRASÍLIA – José Carlos Grubisich, ex-presidente da Braskem, foi preso nesta quarta-feira, 20, em Nova York, nos Estados Unidos, sob a acusação de corrupção. Ele também foi acusado de conspiração por violar uma lei de corrupção estrangeira dos EUA e por conspiração para lavagem de dinheiro.

Grubisich foi presidente da Braskem, empresa que tem como sócios a Petrobras e a Odebrecht, entre 2001 e 2008. Depois, assumiu o comando da ETH Bioenergia, onde ficou até 2012. Por fim, presidiu a Eldorado, empresa de papel e celulose do grupo J&F, dos irmãos Batista. Trabalhou na empresa até 2017, quando o grupo fechou negócio para vender a Eldorado à indonésia Paper Excellence. O negócio não foi para frente e está sendo discutido na Justiça.

O executivo, figura comum em eventos do setor petroquímico durante os anos 2000, submergiu após deixar o comando da Eldorado. Recentemente ele entrou na Justiça contra a Odebrecht. Grubisich cobra uma dívida de 28 milhões de reais do conglomerado devido à sua atuação à frente da Braskem. O processo ainda está nos estágios iniciais.