EUA querem acelerar deportação de brasileiros

Um grupo de cerca de 30 imigrantes brasileiros tentaram cruzar a fronteira no Novo México em 20 de março de 2019 (Foto: Arquivo AFP)

WASHINGTON/BRASÍLIA – O governo dos Estados Unidos quer aumentar o número de voos fretados para a deportação de brasileiros por imigração irregular, segundo uma reportagem da Folha de S. Paulo desta segunda-feira, 13. O jornal ressalta que a quantidade de brasileiros apreendidos ao tentarem atravessar de forma irregular a fronteira sul do país bateu o recorde de 18 mil em 2019, razão pela qual os americanos buscam soluções para acelerar o processo de expulsões.

O uso de aviões alugados para deportar imigrantes em situação irregular é uma prática antiga, e o governo americano arca com os custos. No entanto, o esquema vinha sendo pouco aplicado a brasileiros.

Segundo auxiliares do presidente Jair Bolsonaro, o número de cidadãos apreendidos na fronteira dos EUA com o México nos últimos anos não era tão elevado. Os 18 mil casos do ano passado representam um aumento de 600% em relação ao pico registrado em 2016, de 3.252 barrados.

Ainda havia – da parte do Brasil – resistência política de governos anteriores em autorizar esses voos.

No fim do ano passado, o governo de Donald Trump fez uma consulta formal às autoridades brasileiras solicitando que mais voos fretados com deportados fossem autorizados. De acordo com interlocutores, o Itamaraty disse que iria analisar o pedido. Porém, uma resposta formal ainda não foi entregue ao Departamento de Estado em Washington.

Em outubro, o Brasil deu luz verde para a entrada de uma aeronave fretada dos EUA que devolveu 70 brasileiros no aeroporto de Confins, em Minas Gerais.

Na época, a chanceleria brasileira disse ao Portal BM News que a prática era recorrente entre os dois países, mas agora afirma que nos últimos anos há apenas um registro semelhante em 2017.

Vale ressaltar que em julho o governo de Jair Bolsonaro assinou um acordo com os EUA que colabora com a extradição automática.

Como no Brasil existe uma regra que só permite a emissão de identificação de viagem com pedido expresso do interessado, muitos brasileiros preferiam não solicitar o documento na esperança de que isso atrasaria a sua deportação.

Mas desde o ano passado, os consulados brasileiros emitem atestados de nacionalidade a pedido do governo norte-americano, autorizando a entrada dos nacionais em território brasileiro.

(Com Agências)