Donald Trump fala com papa sobre como ‘aliviar sofrimento’ na Venezuela e oferece ajuda à Notre-Dame

WASHINGTON – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, conversou nesta quarta-feira, 17, por telefone com o papa Francisco sobre como “aliviar o sofrimento” e favorecer uma “transição à democracia” na Venezuela, segundo a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders.

A conversa entre Trump e o papa teve como tema principal o incêndio na Catedral de Notre-Dame em Paris, segundo explicou o presidente americano em um tweet (veja mais no fim da reportagem). Ambos, porém, aproveitaram para comentar a situação na Venezuela, de acordo com a porta-voz.

“O presidente e o papa também conversaram sobre como aliviar o sofrimento do povo venezuelano e levar o país a uma transição democrática”, afirmou Sanders em comunicado.

Trump também falou nesta quarta-feira por telefone com o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, sobre “a escalada de tensões na Líbia e o caminho para eleições livres e justas na Venezuela”, acrescentou Sanders.

Os Estados Unidos foram o primeiro país em reconhecer o líder opositor Juan Guaidó como presidente legítimo da Venezuela depois que se autoproclamou governante em exercício do país em 23 de janeiro. Desde então, ele pressiona pela a saída de Nicolás Maduro do poder.

Por sua parte, o papa afirmou em janeiro que temia “um possível derramamento de sangue na Venezuela”, e ofereceu sua ajuda, se ambas partes quisessem, para conseguir uma “solução justa e pacífica”.

Em carta enviada a Maduro em fevereiro e publicada pelo jornal italiano “Corriere della Sera”, o pontífice se referiu ao dirigente chavista como “excelentíssimo senhor” – e não como presidente – e lamentou a falta de “ações concretas” para cumprir os acordos alcançados sob a mediação da Santa Sé.

Incêndio na Notre-Dame

Na conversa com o papa, Trump também ofereceu a ajuda dos Estados Unidos para reconstruir a Catedral de Notre-Dame em Paris.

“Acabo de ter uma maravilhosa conversa com o papa Francisco na qual lhe ofereci as condolências da parte do povo dos EUA pelo horrível e destrutivo incêndio na catedral de Notre-Dame”, detalhou Trump pelo Twitter.

“Ofereci a ajuda de nossos grandes especialistas em renovação e construção, como fiz ontem na minha conversa com o presidente francês, Emmanuel Macron”, acrescentou.

(Efe)