DeSantis reabre sessão legislativa com temas importantes para imigrantes na Flórida

(Foto: Gabinete do governador da Flórida)

TALLAHASSE – O discurso anual do governador Ron DeSantis nesta terça-feira, 17, marcou a reabertura da sessão legislativa da Flórida que vai inclui temas importantes para os imigrantes indocumentados como a carteira de motorista e a fiscalização no trabalho.

Desde março de 2019, os deputados e senadores discutem as propostas HB969 e SB1538, que preveem o acesso às carteiras de motorista e de identidade a todos os residentes, independente do status imigratório, beneficiando mais de 810 mil pessoas.

O projeto ganhou força após empresários, advogados, lobistas e ativistas aderirem à campanha através de uma carta direcionada a DeSantis e aos congressitas.

“Ao negar a habilidade de estar licenciado e assegurado não apenas os empurra para as sombra como também coloca todos os que transitam nas estradas em risco, elevando ainda o valor do seguro para todos os motoristas”, disseram os aliados.

A carta destaca que a Flórida apresenta o maior índice de motoristas sem seguro do Estado, 26.5%.

E-Verify

Mas o governador republicano, alinhado a linha dura anti-imigrante do presidente Donald Trump, não citou a carteira de motorista para os indocumentados ao destacar as prioridades do estado.

Por outro lado, ele foi enfático sobre a necessidade de aprovar a obrigatoriedade para que todas as empresas apliquem o E-Verify, programa eletrônico do governo federal que checa o status imigratório dos funcionários. DeSantis defende que a fiscalização vai valorizar a mão de emprego.

“Garantir uma força de trabalho legal por meio do E-verify será bom para o estado de direito, protegerá os contribuintes e exercerá uma pressão crescente sobre os salários dos floridianos.”

Atualmente, os candidatos em órgãos estaduais passam por essa triagem, mas não é regra para empresas privadas.

Plano orçamentário

Nos próximos 60 dias, os legisladores têm que chegar a um acordo sobre o plano orçamentário 2020-2021 que começa no dia primeiro de julho e custear todos os programas do estado.

De Santis propôs um orçamento de US$91,4 bilhões, de onde pretende tirar os recursos para aumentar o salário minímo dos professores para US$47,5 mil ao ano, representando uma alta na folha de pagamento de mais de 100 mil profissionais.

Leia o discurso de DeSantis na íntegra aqui.