Corpo de Serguei é enterrado em cemitério na Região dos Lagos do Rio

Artista era reverenciado em Saquarema como um símbolo turístico

SAQUAREMA – O corpo do cantor Serguei foi enterrado por volta das 11h50 deste sábado (8) no Cemitério Municipal de Saquarema, na Região dos Lagos do Rio.

Um outro cortejo foi realizado pela manhã entre a funerária e a Câmara de Saquarema.

Serguei era padrinho do motoclube Pecadores MC de Saquarema. O roqueiro morreu aos 85 anos, nesta sexta-feira (7) no Hospital Zilda Arns, em Volta Redonda (RJ), onde estava internado há 11 dias.

Integrantes de motoclube, que tinha Serguei como padrinho, carregaram o caixão com o corpo do cantor em Saquarema, no RJ  — Foto: Pescadores MC de Saquarema/ Arquivo Pessoal
Integrantes de motoclube, que tinha Serguei como padrinho, carregaram o caixão com o corpo do cantor em Saquarema, no RJ — Foto: Pescadores MC de Saquarema/ Arquivo Pessoal

Amigos do artista participaram do velório. Uma dupla integrante da banda, Made In Brazil, prestigiou Serguei com suas últimas homenagens. O músico Oswaldo Vecchione disse ao site G1 que era amigo do roqueiro desde 1976.

“O Serguei nos deu a honra de participar de 4 DVDs que lançamos. Ele estava como um dos convidados do nossos shows. Um amigo querido e que vai fazer muita falta para o rock no Brasil”, afirma o artista.

O cantor morreu por problemas cardíacos, ocasionados por pneumonia, desnutrição e complicações senis, segundo informou a Secretaria de Estado de Saúde. O corpo de Serguei chegou a Saquarema ainda na noite de sexta.

Serguei morava em Saquarema, RJ, desde 1972 — Foto: Mari Gibara/G1
Serguei morava em Saquarema, RJ, desde 1972 — Foto: Mari Gibara/G1

Ele foi internado no começo de maio em um hospital em Saquarema(RJ), cidade onde morava, com um quadro de desidratação, desnutrição e infecção urinária. Segundo os médicos, ele sofria de Alzheimer.

As causas do emagrecimento do roqueiro foram investigadas pelo médico Rodrigo Lima, geriatra que o acompanhou por quatro anos. No final do mês, apresentou arritmia severa e insuficiência respiratória aguda. Com o agravamento de seu estado de saúde, foi transferido para Volta Redonda.

Na unidade, o roqueiro recebeu tratamento humanizado e reagiu ao ouvir rock.

Deixou legado

Na semana passada, o ator Carlos Loffler fez uma publicação na internet homenageando o amigo Serguei. No texto, o ator diz: “Uma coisa é ser roqueiro, outra coisa é Serguei!!”, enaltecendo a grandiosidade do artista.

O ator visitou Serguei no hospital na quinta-feira (6). Ele falou com G1bastante abalado.

“Perdemos o Serguei! Eu já saí de lá com uma sensação muito estranha e estou aqui muito, muito, muito triste! Serguei era um cara maravilhoso. Foi muito brabo pra mim”, disse o ator.

O médico geriatra, Rodrigo Lima, que cuidava do Serguei há quatro anos, também lamentou a morte do cantor.

“Construímos uma amizade. Eu ia na casa dele, ele ia me visitar no hospital. Recebi com muita tristeza a notícia porque tinha a esperança dele voltar para Saquarema, apesar de saber que ele estava muito debilitado e fraquinho. O Serguei era muito querido”, disse Rodrigo Lima.

Retiro dos artistas

No hospital, Serguei manifestou o interesse em continuar vivendo em Saquarema, conforme revelou o médico.

Logo após a internação do cantor, o hospital entrou em contato com o Retiro dos Artistas para verificar a possibilidade da instituição recebê-lo, caso ele queira numa conversa posterior, após sua recuperação. Por causa da idade e dos cuidados que o cantor necessita, seria uma alternativa caso tivesse alta.