Campanha na internet arrecada dinheiro para ajudar Danilo Malandragem

Malandragem USA foi preso após denúncia de jovem de 17 anos (Foto: Cortesia Delegacia de Winchester)

BOSTON – Uma campanha no Go Fund Me foi lançada na tarde desta quinta-feira, 7, para arrecadar US$50 mil e cobrir as despesas de Danilo Portugal Ramscheid, o Malandragem USA, que está preso há mais de um mês acusado de pornografia infantil e abuso sexual de menor.

A vaquinha virtual foi divulgada por Fernando Tec nas redes socias, mas saiu do ar em seguida, dias antes de uma audiência que pode estabelecer a fiança do suspeito marcada para terça-feira (12) na Corte Distrital de Woburn.

Image may contain: 1 person, beard and text
Malandragem está no presídio de segurança máxima de Plymouth em Massachusetts sob a custódia do Serviço de Imigração e Alfândega (ICE, sigla em inglês) e, segundo especialistas, isso significa que mesmo que pague o valor estipulado por um juiz, o carioca pode permanecer atrás das grades.

“Ele está respondendo o caso criminal e todas as audiências são relacionadas a isso. Se ele for solto, inicia o processo de Imigração em outra instância”, esclarece o advogado Danilo Brack.

No início da semana, amigos divulgaram nas redes sociais um áudio do brasileiro em que ele afirma estar bem já ter sido liberado pelo ICE. As autoridades federais não confirmaram essa informação que também foi publicada no canal de Malandragem no Youtube que soma mais de 140 mil inscritos.

O ICE pediu a custódia do brasileiro logo depois que ele foi preso disse que o suspeito estava sob seu radar por suspeita de atividades ilícitas e morava no país com visto de turista com a permanência vencida.

Malandragem gostava de ostentar a vida nos EUA (Foto: Facebook)

Malandragem costumava postar imagens e vídeos nas redes sociais para ostentar uma vida de luxo com maços de dinheiro, carros e passeios que eram financiados pelo seu “empreendedorismo na América.

Caso
O calvário de Danilo iniciou durante uma festa no dia 12 de janeiro quando policiais atenderam a uma reclamação de vizinhos sobre som alto e carros em alta velocidade no local. O brasileiro deixou os agentes entrarem e pediu ajuda para retirar algumas pessoas.

Após a saída da polícia, a festa continuou com um grupo menor. Entre os convidados uma jovem de 17 anos que Danilo conheceu através da namorada do irmão. Ela passou a frequentar festas na casa do suspeito, mas, segundo a vítima, havia deixado claro “que não queria nada com ele”.

De acordo com o inquérito, a adolescente teria bebido e Danilo a levou para um quarto que abria a porta com as impressões digitais. O local tinha as paredes brancas, um tapete branco e três câmeras apontadas para a cama, descreveu a jovem.

A vítima alega que sofreu abuso sexual e não permitiu que fosse filmada. Mais tarde outras mulheres que estavam na casa a encontraram no quarto, acuada num canto da cama. Elas afastaram Danilo, vestiram a vítima e saíram de lá.

Na Corte, Danilo disse que a jovem queria ter relações sexuais com ele e as câmeras serviam para sua própria proteção diante de uma eventual acusação de estupro.

A Polícia de Winchester voltou ao endereço de Danilo no dia 22 de janeiro com uma ordem de busca e apreensão após interrogar testemunhas cuja identidades permanecem em segredo de Justiça.

Entre o material apreendido, os agentes encontraram uma gravação que mostra Danilo e a menor de 17 anos, prova que culminou na prisão do brasileiro.

Leia também: Youtuber Malandragem USA é acusado de abuso sexual por jovem de 17 anos

Atividades Suspeitas
Segundo o inquérito, Danilo aluga o imóvel através de uma imobiliária e o proprietário acreditava que apenas ele, o irmão – que depois foi apontado como apenas um amigo – e a namorada vivessem na residência.

No entanto, no dia das buscas, 22 de janeiro, os policiais contaram 14 homens e duas mulheres na casa às 6 horas da manhã. Havia ainda colchões espalhados pelo local.

Além disso, um levantamento da polícia aponta que dezenas de pessoas usam o endereço e 26 carros estão registrados no 276 da High Street em Winchester. Pelo menos 14 veículos estão sob o a companhia de Danilo, a Valhalla Services, Inc.

Há dois anos, o Portal BM News o entrevistou e ele negou as acusações de dezenas de imigrantes que alegavam terem perdido dinheiro com ele. A empresa registrada em seu nome oferecia assessoria nos primeiros passos da vida americana, abrindo contas em bancos, ajudando a comprar roupas, carros, telefone celular e garantindo hospedagem e facilidades para o aluguel.

Mas em seus vídeos, Malandragem confirma que aluga vagas em sua casa para imigrantes recém-chegados, tem um comércio de revendas e aluguel de carros comprados em leilão e ganha dinheiro ao incluir novos motoristas no aplicativo da Lyft.