Califórnia avança para estender seguro médico para indocumentados

LOS ANGELES – A Câmara dos Deputados da Califórnia chegou a um acordo na noite deste domingo, 9, que prevê que os jovens entre os 19 e os 25 anos sem status imigratório regular e com baixos rendimentos se tornem elegíveis para o Medicaid. A votação em plenário acontece essa semana.

Se aprovado,  o programa público de saúde, que já beneficia pobres e pacientes com algum tipo de deficiência, vai expandir para pelo menos 90 mil pessoas.

Os críticos alertam que a inovação vai custar US$ 98 milhões por ano ao governo. Mas os defensores da proposta alegam que o acesso a atendimento médico favorece a prevenção de doenças, o que significa economia aos cofres públicos.

“A Califórnia acredita que a saúde é um direito fundamental”, disse a senadora democrata Holly Mitchell, que liderou as negociações sobre o orçamento para o próximo ano fiscal.

A medida pode fazer a Califórnia a se tornar o primeiro estado no país a oferecer benefícios na área da saúde a pessoas que vivem ilegalmente nos Estados Unidos. Em iniciativas semelhantes, estados como Massachusetts oferecem programas especiais e limitados para essa população.

O debate acontece no momento em que o presidente Donald Trump quer tornar a dependência de recursos públicos, mesmo estaduais, uma barreira para a legalizacão de estrangeiros.