AutoMax vai restituir consumidores considerados lesados pela justiça

Arte: Portal BM News

BOSTON/FRAMINGHAM – A procuradoria-geral de Massachusetts divulgou na terça-feira, 19, o resultado de um acordo feito entre o Estado e a loja de carros usados conhecida como AutoMax, revelando que a companhia aceitou pagar $ 925 mil em restituição aos consumidores que foram considerados lesados no processo. A AutoMax divulgou nota oficial alegando que não admitia a culpa e faria o pagamento para evitar uma luta judicial ‘longa e cara’.

O acordo relata que a companhia teria praticado manobras comerciais proibidas em Massachusetts como vender carros e não identificá-los como sendo usados anteriormente em leasing, aluguéis ou táxi, como a lei estadual determina, assim como a cobrança de taxas ocultas embutidas nos financiamentos. De acordo com documentos aos quais o PORTAL BM NEWS teve acesso, os brasileiros representam mais da metade desses negócios realizados.

De acordo com a queixa da Procuradoria, registrada no Tribunal Superior de Middlesex, a New England AutoMax Inc., a AutoMax Preowned Inc. e a Auto Max Inc. (AutoMax), assim como seu proprietário Howard J. Wilner supostamente violaram a Lei de Proteção ao Consumidor de Massachusetts.

Outra acusação grave relatada pela procuradoria diz que, além dessas informações deturpadas, a companhia incluía taxas não divulgadas ao consumidor nas transações de vendas de carros.

Em nota à imprensa, a ‘Automax Preowned negou as alegações e, sem nenhuma admissão de irregularidades, decidiu resolver o assunto para evitar uma batalha legal cara e prolongada’. A empresa disse também que preserva a transparência em seus negócios e que as acusações se referem a vendas promovidas em 2017.

Por lei, ‘os revendedores de automóveis usados em Massachusetts devem divulgar todas as informações relevantes que possam impactar a decisão do consumidor de comprar um veículo; e os revendedores têm o dever de ser transparente com os consumidores sobre os termos de um acordo ou venda.

Segundo a procuradora-geral do Estado, Maura Healey, após uma série de denúncias, seu escritório realizou investigações que identificaram os seguintes problemas na AutoMax:

– Não cumprimento da obrigatoriedade de divulgar em suas peças de publicidade e contratos de vendas se os carros foram usados anteriormente como leasing, em sistema de aluguel ou táxi;
– Iludir com informação sobre garantia de carros fabricados para o mercado do Canadá e cobrar por serviços adicionais em taxas de até $ 3 mil, serviços inválidos em território americano;

– Embutir taxas extras de $ 100 e $ 200 aos clientes que faziam a entrada com carros na troca;

– Falsificar documentos para financiamentos.

Pelo acordo, a AutoMax e Wilner devem pagar $ 750 mil em restituição aos consumidores afetados e uma penalidade de $ 175 mil.

Para esclarecer dúvidas sobre este mercado, a Procuradoria Geral mantém o telefone 617-727-8400 à disposição ou pessoalmente o consumidor que se julgue lesado pode registrar uma reclamação no escritório.

Nota da AutoMax

The Attorney General’s Office of Massachusetts and Automax Preowned recently reached a settlement regarding vehicle transactions prior to 2017. The settlement arose out of allegations by the Attorney General’s Office that Automax Preowned violated consumer protections laws. Automax Preowned denied these allegations and, without any admission of wrongdoing, chose to settle the matter to avoid a costly and drawn-out legal battle. The settlement provides Automax Preowned consumers that may have been affected with relief. Automax Preowned has been transparent with its transactions by providing free Carfax reports on its vehicles for over a decade. Automax Preowned is pleased to announce this matter is now behind them.