Audiência de fiança de Malandragem é remarcada para 10 de abril; ele segue preso

Malandragem USA foi preso após denúncia de jovem de 17 anos (Foto: Cortesia Delegacia de Winchester)

BOSTON – A Corte Superior do Condado de Middlesex, em Boston, aceitou nesta terça-feira, 12, remarcar a audiência de fiança de Danilo Portugal Ramscheid, o Malandragem USA, que segue preso após ter sido acusado por uma menina de 17 anos de abuso sexual há mais de um mês.

A advogada pública Cheryl McGillivray alegou que não teve acesso aos autos do processo devido a problemas com computador para pedir o adiamento da revisão do valor da fiança estipulada para o seu cliente, listado como indigente nos autos do processo, em US$1 milhão.

Danilo já depositou US$10mil, como havia exigido a Corte Distrital de Woburn, onde foi ouvido pela primeira vez, e precisaria adicionar mais US$90 mil, 10% do montante que lhe daria o direito de responder o processo em liberdade vigiada.

Acostumado a ostentar carros e pilhas de dólares na internet, amigos de Danilo chegaram a criar na semana passada uma campanha virtual para arrecadar dinheiro para o carioca. Mas a conta foi retirada do ar horas depois.

Mesmo que o juiz reduza o valor,  Danilo só vai deixar o Centro de Detenção do Middlesex com tornozeleira eletrônica e sob a condição de não se aproximar de menores de 18 anos.

O carioca, que foi preso no dia 4 de fevereiro, vai ser julgado no dia 11 de julho por abuso sexual de menor, pornografia infantil e gravar cenas de sexo sem consentimento.

Se pagar a fiança, o brasileiro precisa ainda se livrar do Serviço de Imigração e Alfândega (ICE) que tem a sua custódia por conta do tempo de permanência do visto de turismo expirado. Segundo as autoridades federais, ela já era investigado pela agência por suspeita de atos ilícitos embora não tenha sido o motivo da prisão.

Em vídeos no Youtube, Danilo afirma que é possível viver ilegalmente nos EUA e dá dicas de como ganhar dinheiro na clandestinidade. O youtuber também cobrava por conselhos e “assessoria” durante os primeiros dias do imigrante no país, como buscar no aeroporto, abrir conta em banco, arrumar emprego e encontrar moradia.

Caso o Danilo seja indiciado por delitos relacionados aos imigrantes, o processo nas Cortes de Imigração e Federal só começa depois da sentença criminal em Massachusetts.

Há duas semanas, Danilo gravou um áudio da cadeia dizendo que lá não é tão ruim e está aproveitando para cuidar da saúde. O youtuber, que tem mais de 142 mil inscritos em seu canal Malandragem Pelo Mundo, também tranquilizou os seus seguidores de que seria liberado em breve.

Acusações
No dia 12 de janeiro policiais atenderam a uma reclamação de vizinhos de Danilo, em Winchester,  sobre som alto e carros em alta velocidade no local e retiraram algumas pessoas da festa a pedido do próprio brasileiro.

Após a saída da polícia, um grupo menor permaneceu na casa do suspeito. Entre os convidados, uma jovem de 17 anos que já o conhecia mas, segundo a vítima, havia deixado claro “que não queria nada com ele”.

De acordo com o inquérito, a adolescente bebeu e Danilo a levou para um quarto que abria a porta com as impressões digitais. O local tinha as paredes brancas, um tapete branco e três câmeras apontadas para a cama, descreveu a jovem.

Ela alega que sofreu abuso sexual e não permitiu que fosse filmada. Mais tarde outras mulheres que estavam na casa a encontraram no quarto, acuada em canto da cama. Elas afastaram Danilo, vestiram a vítima e saíram de lá.

Com a denúncia, a Polícia de Winchester voltou ao endereço do acusado no dia 22 de janeiro para cumprir uma ordem de busca e apreensão. Entre o material apreendido, os agentes encontraram uma gravação que mostra Danilo e a menor de 17 anos, prova que culminou na prisão do brasileiro.

No dia seguinte, Malandragem disse na Corte que a menina queria ter relações sexuais com ele e as câmeras serviam para sua própria proteção diante de uma eventual acusação de estupro.

Atividades Suspeitas

A denúncia de crime sexual levou à descoberta de outros atos suspeitos.

Segundo o inquérito, Danilo aluga o imóvel através de uma imobiliária e o proprietário acreditava que apenas três pessoas viviam na residência.

No entanto, no dia das buscas, 22 de janeiro, os policiais contaram 14 homens e duas mulheres na casa às 6 horas da manhã. Havia ainda colchões espalhados pelo local, destaca os autos da Corte.

Além disso, um levantamento da polícia aponta que dezenas de pessoas usam o endereço e 26 carros estão registrados no 276 da High Street em Winchester. Pelo menos 14 veículos estão sob o nome da companhia de Danilo, a Valhalla Services, Inc.

Informações não oficiais relatam que o brasileiro alugava carros e perfis falsos para motoristas de aplicativo, as autoridades ainda não confirmam a suspeita.