Acusado de massacre na Nova Zelândia se declara inocente

Autor de atentado na Nova Zelândia mandou e-mail a premier (Foto: ANSA)

CHRISTCHURCH – O extremista australiano Brenton Tarrant, autor do massacre contra duas mesquitas em Christchurch, na Nova Zelândia, declarou-se inocente de todas as acusações.

Tarrant, de 28 anos de idade, transmitiu ao vivo, via redes sociais, o ataque com arma de fogo cometido em 15 de março na Nova Zelândia e o qual deixou 51 pessoas mortas.

O advogado que representa Tarrant, Shane Tait, disse ontem (13), durante uma audiência judicial, que seu cliente se declara “inocente de todas as acusações”. Tati fez uma chamada de vídeo de dentro da prisão de segurança máxima de Auckland, onde o acusado está detido, para magistrados do tribunal de Christchurch que analisam o caso.

Durante a transmissão, Tarrant ficou sentado ao lado do advogado, em silêncio. A audiência foi acompanhada por mais de 80 sobreviventes do massacre e familiares, que assistiram a Tarrant sorrindo ironicamente em alguns momentos do vídeo.

Defensor da supremacia branca, Tarrant é acusado de 51 homicídios, 40 tentativas de homicídio e terrorismo. O julgamento do caso está marcado para 4 de maio de 2020.