Abandonado pelos pais, brasileiro muda a vida com green card via Estatuto Juvenil 

BOSTON – O alerta feito há pouco mais de dois meses pelo advogado Sthepan Bandar sobre o Estatuto Juvenil de Imigrante Especial (Special Immigrant Juvenile, SIJ na sigla em inglês) trouxe o assunto à tona para um debate amplo sobre as condições de muitos menores de 21 anos e abriu os olhos de pessoas que desconheciam os direitos a uma mudança de vida e de status no país.

A falta de conhecimento sobre leis imigratórias muitas vezes impede pessoas com direitos a proteção legal de permanecerem nos Estados Unidos. Entre essas milhares de pessoas estão menores que sofreram abusos, foram abandonados ou negligenciados pelos pais.

É o caso do mineiro Victor Mourão, 22 anos, morador de Framingham, que há pouco mais de dois anos conseguiu seu green cardalicerçado pelo SIJ. “Eu estava aqui nos Estados Unidos e nem ao menos tinha contato com meus pais”, disse ele.

Com uma juventude difícil, Mourão descobriu no SIJ sua chance de mudar de status e ganhar o direito de recomeçar sua vida nos Estados Unidos munido de documentos. Abandonado pelos pais, ele requisitou à justiça os benefícios do Estatuto Juvenil de Imigrante Especial que só é permitido para menores de 21 anos, solteiros na ocasião do preenchimento da requisição e já morando no país.

“Eu diria a todos os jovens que estão em situação semelhante a que eu passei que tentem porque isso é mais que apenas uma luz no fim do túnel. Isso é real e eu sou a prova concreta”, conta ele.

Advogado Stephen Bandar já conseguiu o benefício para muitos jovens que se qualificavam para o estatuto

O advogado de imigração Stephen Bandar esclareceu que o estatuto é muito pouco usado, porém trata-se de um dos recursos mais seguros e eficientes no atual quadro imigratório do país. A medida requer o acompanhamento de um profissional que terá que provar em Corte a situação do menor.

A vida de Victor Mourão é um exemplo do quão importante é a informação correta sobre leis imigratórias. Hoje ele está na universidade e disse que o estatuto foi decisivo em seu futuro. “Eu não tinha ideia de como seria a minha vida. Um dia sentei com o advogado e ele me falou cada etapa do que eu passaria. Depois, diante de um juiz, contei a minha história e há mais de dois anos recebi a minha residência permanente.”

De posse do green card a vida adulta se desenha de forma contrária à infância e adolescência de jovens como Victor Mourão.

O processo é repleto de nuances que obrigam o escritório de advocacia ser muito criterioso. A Corte exige, por exemplo, que o advogado publique em jornal de grande circulação no Brasil a data e hora da audiência do postulante ao estatuto para evitar fraudes e conflitos de interesse, checa as informações concedidas e estabelece os critérios a serem seguidos.

O SIJ exige a comprovação de um tribunal ou através de um processo administrativo de que não é do interesse da criança ser devolvida a seu país de origem ou a outro onde tenha morado anteriormente.

O que se leva em conta são fatores como sistemas de apoio familiar, bem-estar emocional, recursos médicos e educacionais, padrão de vida local, história de abuso, negligência ou abandono dos pais; pontos determinantes para se definir o que é melhor para o futuro do menor.

Stephen Bandar destacou que “o SIJ tem uma amplitude muito grande, sobretudo para imigrantes de países com índices maiores de violência e crise econômica”.

 

SERVIÇO

 

Escritório Stephen Bandar 

114 Broadway Somerville MA 

2000 Mass ave Suite 2 Cambridge

Telefone: 617-992-1575