Brasileira está presa sem direito a fiança após jogar filha recém-nascida no lixo

Francielle durante audiência nesta sexta-feira

BOCA RATON – A Corte do Condado de Palm Beach, na Flórida, negou nesta sexta-feira, 10, a fiança para uma brasileira que foi presa na noite anterior por tentativa de assassinato e abuso infantile, após  abandonar a filha recém-nascida no dumpster de um condomínio residencial de Boca Raton.

Rafaelle Alessandra Carvalho Sousa, de 35 anos, colocou a criança em um saco de lixo com “resíduos domésticos e café moído” e a jogou em uma lixeira no condomínio Alister Boca Raton,  informou o escritório do Xerife do Condado de Palm Beach.

A prática de misturar pó de café usado é comum entre quadrilhas e grupos de extermínio no Brasil para iludir o faro de cães.

Dois funcionários da manutenção encontraram a criança na manhã da quarta-feira e acionaram o Serviço de Emergência. A menina passa bem e está sob a custódia do Departamento de Famílias e Crianças.

Durante a investigação, os policiais encontraram um saco de lixo semelhante ao que estava o bebê com “muitos guardanapos e uma grande quantidade de sangue junto com um recibo do Fantastic Beauty Supply”.

As evidências levaram os investigadores a Rafaelle que mora no bloco de prédios de onde parte o lixo para aquele compartimento.

Ao ser interrogada, ela confessou ter “colocado o saco com o bebê no dumpster”.

“Tentei fazer o bebê responder e esperei três horas para ver se voltaria a respirar”, disse a brasileira em depoimento, levantando a hipótese de que ela achava que a criança estava morta.

Francielle, que tem outro filho pequeno,  também contou que voltou duas vezes até a lixeira para se certificar de que o bebê estava morto, mas nunca se aproximou do saco “porque havia pessoas naquela área de estacionamento”.

Na decisão, o juiz Ted Booras afirmou que a brasileira não pode ter contato com a vítima nem com o pai da menina.

Segundo os investigadores, o marido não sabia que Francielle estava grávida.